sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Estante #1

Clockwork Angel, o novo livro de Cassandra Clare, é, em uma só palavra, surpreendente.

Um livro que eu gostei muito foi Luxo, mas eu desvendei o final lendo a sinopse e o prólogo. Já Clockwork Angel... Até mais ou menos a página cem a narrativa foi sem muitas surpresas, seguindo uma linha de pensamento bem criativo, mas sem muitos sobressaltos.
E então eu não conseguia mais fechar a boca. De três em três páginas eu falava OOOOH! A autora despejou mistérios, segredos, meias respostas, respostas inteiras e eu não conseguia alcançá-las. Eu nunca adivinharia quem era o Magistrado. Eu nunca adivinharia o passado do Will. E eu nunca, nunca e nunca adivinharia aquele final.
Foi de tirar o fôlego.
A história me envolveu de um modo que eu li as cem páginas finais em quase meia hora. Will Herondale é o nome do livro. Tessa Gray pode ser a principal, mas foi Will que moveu tudo. A amizade dele com James Castairs, o Jem, a sua misteriosa Cecily, as suas supostas bebedeiras, a sua inimizade pela outra Shadowhunter Jessamine Lovelace. Mas claro, a parte que me fez sorrir bobamente foi quando o Jem beija a mão da Tessa e diz Mizpah.
Então o ciúme fica estampado na postura do Will.
Tavez essa tenha sido a melhor cena, Diva Cassandra Clare, meus parabéns.

0 rubrettes:

Postar um comentário